Mentor de organização criminosa originada no Ceará é preso

A Polícia Civil do Ceará (PC) divulgou, ontem, os detalhes das prisões de dois criminosos, Marcos da Silva Pereira conhecido como “Marquim Chinês”, e Marcos André Silva Ferreira, o “Dedé” ou “Branquinho”. O que, a princípio, eram duas investigações distintas, se tornou uma só. A ação, realizada pela equipe da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), resultou na apreensão de veículos e dinheiro em espécie.

A prisão de “Marquim Chinês”, 39, ocorreu no dia 19 de setembro em Garrote, Caucaia. Ele, a princípio, foi autuado em flagrante por integração organização criminosa e posteriormente tráfico de drogas e associação por tráfico, já respondia por homicídio qualificado. Marcos é um dos fundadores de uma facção local, tendo confessado desde o início e é um dos maiores abastecedores de cocaína para traficantes no Ceará, as investigações apontaram que ele comercializa em torno de cem quilos por mês no Estado, atuando principalmente no bairro Meireles e Varjota e é líder da conhecida “Favela das Verdes Mares”. O vínculo com “Dedé” foi visualizado pela Polícia no encontro dos dois em uma padaria da cidade. Ambos alegam ser vendedores de carros para justificar os veículos e a quantidade de dinheiro apreendida.

“No momento da prisão, ele quebrou o celular, o que mostra que ele é detentor de uma gama grande de informações sobre a facção, dinheiro que foi apreendido com ele, aproximadamente 19 mil reais em espécie, e é interessante observar que ele argumentou que seria dinheiro utilizado na compra e venda de veículo, mas, aí, quando você observa várias notas de diversos valores, inclusive moeda, o que deixa claro que é dinheiro proveniente do tráfico de drogas”, explica o delegado adjunto da Draco, Alceu Viana, sobre a prisão de Marcos Chinês.

O outro
Já o “Dedé”, 24, foi preso no dia 10 de outubro em uma academia de um dos shoppings da Cidade, ele possuía uma vida de luxo, morava na Beira Mar, estudava direito em uma faculdade particular e sempre utilizava suas redes sociais para colocar fotos em viagens e festas. A polícia encontrou em seu passaporte, uma viagem no início de junho para Pedro Juan Caballero, no Paraguai, que faz fronteira com Ponta Porã, Mato Grosso do Sul, um dos maiores pontos de entrada de entorpecentes no Brasil.
“Na residência do investigado, não foi encontrado nada de ilícito, mas verificamos que tinha algumas documentações, em relação a ele também foi encontrado o veículo Corolla, e, no momento da prisão, ele tava com um HB20 (…) apesar dele não ter nenhuma passagem de tráfico, ele tem passagem por homicídio, porte de arma, uma receptação e um roubo também”, explica sobre a prisão de “Dedé” o delegado adjunto da Draco, Klever Farias.
O veículo Hilux só foi encontrado no dia seguinte a prisão de “Dedé” e em sua casa foi encontrado uma procuração em nome de Auricélio de Sousa Freitas, “Celinho da Babilônia”, um dos mandantes da chacina do Forró do Gago.

Da redação/O Estado.