Entenda as principais diferenças entre o resfriado comum, gripe e Covid-19

A Covid-19, gripe e resfriado são três doenças que afetam o trato respiratório e apresentam sintomas semelhantes. Por conta disso muitos pacientes podem se confundir em relação à sua condição, e em certos casos isso pode minimizar o cuidado necessário à prevenção contra o novo coronavírus. Conversamos com a otorrinolaringologista (RQE 7546), Janaina Gonçalves da Silva Leite, que esclareceu […]

A Covid-19, gripe e resfriado são três doenças que afetam o trato respiratório e apresentam sintomas semelhantes. Por conta disso muitos pacientes podem se confundir em relação à sua condição, e em certos casos isso pode minimizar o cuidado necessário à prevenção contra o novo coronavírus. Conversamos com a otorrinolaringologista (RQE 7546), Janaina Gonçalves da Silva Leite, que esclareceu as principais diferenças entre as doenças e destacou a importância da avaliação médica para o diagnóstico correto.

De acordo com Janaina, o resfriado comum é uma infecção das vias áreas superiores, do nariz e garganta, por diversos tipos de vírus, como o adenovírus, rinovírus. Já a Covid-19 é uma infecção causada pelo Sars-Cov2. “Parece ser um resfriado comum, só que tem algumas nuances. E uma delas é que ele pode provocar problemas no nervo do olfato, no nervo que faz a gente sentir os cheiros. A pessoa portanto pode apresentar uma hiposmia que significa sentir poucos cheiros, e até mesmo a anosmia, que é a ausência completa dos cheiros”, ressaltou.

Os espirros são comuns em resfriados, mas raros tanto em gripes quanto em Covid-19. O nariz entupido aparece frequentemente em resfriados, às vezes em gripes e, raramente, em casos do novo coronavírus. A dor de cabeça é rara em resfriados, comum em gripes e pode surgir em infecções pelo novo coronavírus. Dentre as diferenças, a otorrinolaringologista, destacou que a Covid-19 tem sintomas nasais mais brandos de congestão, espirros, coriza que os outros vírus do resfriado comum

Como explica a especialista, a perda de olfato tem sido um sintoma bem agudo nos pacientes com Covid-19, e ele pode aparecer em qualquer momento da doença, às vezes nos primeiros dias, mas também no final. Outro sintoma comum é não sentir o gosto das comidas, denominado de ageusia. Mas somente por esses sintomas não é possível diferenciar a Covid-19 de outras doenças infeciosas.

De acordo com o infectologista Keny Colares, a perda de olfato que se tem quando tá resfriado ou com alergia, se deve à congestão nasal. O nariz fica entupido e a pessoa sente menos o cheiro das coisas porque a respiração não consegue passar direito pelo nariz e passa geralmente. Já no caso da Covid-19, o doutor ressalta que a perda da olfato acontece de forma mais intensa. “A pessoa realmente de uma hora para outra fica praticamente sem o olfato, mas também com pouco tempo se recupera. Então, a intensidade é maior e assim, o mecanismo é bem diferente, não é simplesmente porque o nariz tá entupido como acontece quando a gente tá resfriado”, frisou.

Segundo a otorrinolaringologista, é comum hoje ter associação imediata da perda de olfato ao novo coronavírus. “Como tivemos uma grande quantidade de pessoas que entraram em contato e esse vírus provoca em algumas pessoas a perda de olfato houve essa associação, que sempre que a pessoa perde o olfato é Covid, mas a gente não tem como garantir pois existe um outro vírus que é muito corrente, o Influenza, que também provoca perda de olfato. Existem ainda alguns outros vírus que ocasionam o resfriado e que também provocam a perda de olfato. Então só por um sintoma, não dá pra diferenciar completamente”, esclarece.

A especialista ressaltou que somente com exames e a avaliação médica será possível se chegar a um diagnóstico. “Os pacientes a depender do tempo que apresentaram os sintomas vão precisar fazer exames e só ai vamos poder certificar se foi Covid ou não”, afirmou.

Foto: Mateus Dantas

CMFOR