Caminhão com 4 toneladas de maconha foi apreendido

Quatro mil quilos de drogas. Esse é o resultado da maior apreensão de entorpecentes feita pelas forças de segurança pública do Estado. A ação ocorreu em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), por equipes da Polícia Militar. Durante a ofensiva, dois veículos utilizados no delito também foram apreendidos.
Os detalhes do trabalho policial foram divulgados em coletiva de imprensa, ocorrida ontem (7), na sede do Quartel do Comando Geral (QCG), que contou com a presença do coronel comandante geral da PMCE, Alexandre Ávila de Vasconcelos; do coronel George Stenphenson, da Coordenadoria Geral de Operações (CGO); e o comandante do Comando de Policiamento de Choque (CPChoque), coronel Ronaldo José de Sousa.
Além dessa última ação, as autoridades do Estado já apreenderam 1.579,23 quilogramas (Kg) de entorpecentes, somente no período de janeiro de 2020 até julho do mesmo ano. Os números de agosto ainda não foram divulgados. O valor é resultado do trabalho integrado de todas as forças. Todavia, os registros eram consideravelmente menores que aos observados no mesmo intervalo em 2019, quando 3.499,21 Kg de drogas já haviam sido retirados de circulação.
Os dados são da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) e levam em conta a captura de substâncias derivadas da Cannabis, como Maconha e Haxixe, Cocaína e Crack. No entanto, as apreensões em si não são o objetivo final das polícias cearenses. Na verdade, a meta é neutralizar a origem desse material ilícito.

Troca de tiros
No total, foram apreendidos quatro toneladas e 21 gramas de maconha prensada. As drogas foram localizadas no Distrito de Tapuio, logo após os policiais militares do 15° Batalhão de Polícia Militar (BPM) receberem uma denúncia anônima. A informação seria de que próximo ao Sítio Raimundo Maia estaria havendo um descarregamento de drogas. Imediatamente, diligências foram realizadas.
Ao visualizar as composições, um indivíduo efetuou disparos de arma de fogo contra os militares, que revidaram. Foram feitas buscas na região, mas o suspeito não foi localizado. Na estrada carroçável, após buscas, um caminhão-baú e um carro da marca Peugeot foram encontrados. De acordo com os PMs, dentro do caminhão havia mais de 15 sacos contendo maconha prensada.

Prejuízo grande
Apreensões recentes da droga, também comprimidas, foram avaliadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com o valor, por quilo, de R$ 1.000,00. Sendo assim, mesmo com possíveis variações nos preços do entorpecente, a ação desse fim de semana pode ter representado um prejuízo de, aproximadamente, R$ 4 milhões.
Todo o material ilícito foi conduzido para a Delegacia Metropolitana do Eusébio da Polícia Civil do Ceará (PCCE). Na delegacia, um procedimento sobre o fato foi instaurado e transferido para a Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), unidade que dará continuidade às investigações. A PCCE investiga o caso com o intuito de identificar e localizar os envolvidos no crime.

Facções
Os grupos criminosos com maiores participações no tráfico de drogas são as chamadas facções. O Estado padece com a atuação de três principais entidades ilícitas. São elas, o Comando Vermelho (CV), de origem carioca; o Primeiro Comando da Capital (PCC), oriundos de São Paulo; além dos Guardiões do Estado (GDE), natural do Ceará.
Cada uma dessas aposta em estilos diferentes de administração de conflitos e gozam de “modus operandis” bem distintos entre si. Por conta dessas diferenças operacionais e, principalmente, do interesse em determinadas regiões ou bairros, essa trinca vive em conflito, ensaiando ocasionalmente, acordos de paz selados pelos respectivos líderes.
Porém, todas essas estão no alvo das forças policiais estaduais e, inclusive, nacionais. A facção cearense, por exemplo, teve vários dos membros de seu “alto escalão” presos. Do mesmo modo, entidades de segurança investigam e atuam contra o CV e o PCC. Esse último, por sinal, foi vitimado por algumas operações ocorridas no mês passado. Só uma dessas ofensivas chegou a contar com mais de 300 mandados judiciais.
• Novo comando
O acirramento do combate às facções criminosas se iniciou durante a passagem de André Costa pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social. A gestão do ex-secretário, no entanto, foi encerrada de modo inesperado na última sexta-feira (04), e ainda não se sabem os motivos que levaram o então gestor a pedir desligamento do cargo. Ele alega ter tomado a decisão por questões familiares. A frente da SSPDS, toma posse Sandro Luciano Caron de Moraes. Gaúcho de nascimento e, assim como o antecessor, delegado da Polícia Federal (PF), o novo titular já tem história reconhecida no Ceará, onde foi superintendente do órgão policial entre 2009 e 2013. Dois anos depois de sair do Estado ruma à Brasília, foi agraciado com o título de Cidadão Cearense, dado pela Assembléia Legislativa.

• Denúncias
A população pode colaborar com os trabalhos investigativos repassando informações que tenha conhecimento sobre o tráfico de drogas e de suspeitos com envolvimento na atividade ilícita. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, para o (85) 3472-1550, da DCTD, ou ainda para o número (85) 98895-5749, que é o WhatsApp da Divisão. O sigilo e o anonimato são garantidos.

OE