Aprovado piso salarial dos agentes comunitários de saúde do Ceará em R$ 1.550,00

Governo do Ceará mantém compromisso com a categoria ao assegurar novo piso mesmo quando todos os estados enfrentam dificuldade por causa da pandemia

Primeiro estado do Brasil a conceder o piso nacional, o Ceará continua cumprindo com suas obrigações mesmo em período de dificuldade causada pela pandemia de Covid-19 e assegura aumento salarial aos agentes comunitários de saúde vinculados ao Estado. Nesta quinta-feira (11) foi aprovada na Assembleia Legislativa a proposta encaminhada pelo Governo do Ceará com o novo piso de R$ 1.550,00 para a categoria.

Ao enviar a mensagem com o novo piso o governador Camilo Santana destacou que os agentes comunitários de saúde desempenham papel fundamental no modelo de atenção básica denominado Estratégia de Saúde da Família (ESF). “No Ceará, são cerca de 14.600 profissionais que diariamente visitam lares levando informações, vendo e ouvindo e aconselhando a população sobre alimentação, saúde, educação e outros temas”. Desses mais de 14 mil agentes, 8 mil são pagos pelo Estado e disponibilizados aos municípios.

Ainda na proposta o governador também destacou que os agentes têm participação fundamental nos serviços e ações de promoção da saúde, vigilância epidemiológica e combate a endemias dentro dos territórios de atuação. “São eles que orientam a população em relação a possíveis problemas de saúde que possam ser identificados e ao acesso à rede pública de saúde”, apontou Camilo Santana.

Outro que reconhece a importância do trabalho dos agentes comunitários de saúde é o assessor especial de Assuntos Institucionais do Governo do Ceará, Nelson Martins. Ele lembra que desde o primeiro mandato, o governador Camilo Santana assumiu dois compromissos com a classe e tem cumprido. “O primeiro, foi o de pagar a insalubridade, já cumprido desde o primeiro ano de governo, e segundo, o de garantir o piso nacional”, diz Nelson Martins. “Nós devemos muito aos agentes comunitários de saúde. É um trabalho preventivo de orientação”, completa.

ASCOM