Suspeito de tentativa de assalto em restaurante no Meireles é preso pela Polícia

Após prisão, agentes constataram que ele tinha várias passagens pela Polícia, das quais cinco foram apenas por furto

Polícia Militar do Ceará (PMCE) prendeu, na tarde deste domingo (21), um homem suspeito de tentar roubar itens de clientes em um restaurante no bairro Meireles, em Fortaleza.

Agentes do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) patrulhavam a região quando foram acionados para uma tentativa de roubo em andamento. Indivíduos em uma motocicleta teriam tentado roubar clientes em um restaurante da área. A ação foi captada por câmeras de segurança.

De acordo com uma testemunha, o suspeito pulou o muro do estabelecimento, que estava lotado, e tentou roubar o celular de um cliente, com o qual travou uma breve briga corporal. Outras pessoas que estavam no restaurante tentaram se esconder em lojas que também funcionam no local. Ainda conforme ela, ninguém se feriu na ocasião, e o suspeito desistiu e fugiu antes da chegada da Polícia e de seguranças do empreendimento.

Após realizar diligências nas vias em que os suspeitos possivelmente teriam passado, os policiais visualizaram Francisco Renato Gomes Meireles, 40 anos, trafegando em uma motocicleta. Por não ter obedecido a ordem de parada, os agentes começaram a persegui-lo.

Francisco Renato largou o veículo e tentou empreender fuga a pé, mas foi alcançado e capturado no bairro Praia de Iracema. Os policiais constataram que o suspeito já tinha sete passagens pela Polícia, das quais cinco se deram por furto, uma por roubo e outra por tráfico de drogas. Ele e o veículo — cuja placa era adulterada — foram conduzidos para  o 2º Distrito Policial (DP). Lá, ele foi autuado em flagrante por tentativa de roubo e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

A Polícia segue com diligências na região com o intuito de localizar e prender o segundo suspeito, que teria dado cobertura à ação. O envolvimento de Francisco Renato em outros crimes também será investigado. O Diário do Nordeste tentou contatar o restaurante por telefone e WhatsApp, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

DN