Câmara aprova nomes para cadeiras nos Conselhos de Justiça e do Ministério Público

Foi aprovado advogado Mário Henrique Aguiar Goulart Ribeiro Nunes Maia para a vaga que cabe à Casa indicar para o CNJ e recondução de Otavio Luiz Rodrigues Junior para o CNMP

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (27), o nome do advogado Mário Henrique Aguiar Goulart Ribeiro Nunes Maia para a vaga que cabe à Casa indicar para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ele foi indicado por 12 partidos (Progressistas, Avante, PSD, Solidariedade, PSDB, MDB, DEM, PCdoB, Rede, PT, Republicanos e PDT). Também disputaram a vaga Cesar Augusto Wolff, indicado pelo Novo, e Janaína Penalva, indicada pelo Psol.

Na mesma sessão deliberativa os deputados aprovaram a recondução de Otavio Luiz Rodrigues Junior para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Ele era o único candidato à vaga.

Os eleitos irão representar a Câmara dos Deputados nos respectivos conselhos.

Elogios e críticas
O líder do bloco dos partidos de centro, deputado Arthur Lira (PP-AL), elogiou a escolha dos dois indicados. “O conselheiro Otávio já está no mandato e faz um excelente trabalho, cumprindo justamente a missão que essa casa o delegou. O nosso partido apoiou para o CNJ Mario Maia, que também traz na sua bagagem condições e pré-requisitos absolutamente necessários e indispensáveis para ser o representante da Câmara dos Deputados no CNJ.”

O líder do PDT, deputado Wolney Queiroz (PE), também defendeu a escolha de  Mário Maia e Otavio Rodrigues. “Esses candidatos recebem a confiança da Câmara dos Deputados, que entrega essa tarefa de representação em órgãos tão importantes”, declarou.

Já o deputado Marcel van Hattem (Novo-RS) fez críticas ao  advogado Mário Maia. “Foi indicado por quase todos os partidos, mas pouco se sabe sobre ele. O seu currículo não é atualizado desde 2016 e seu principal talento é ser filho de Napoleão Nunes Maia, do STJ”, afirmou.

De acordo com o deputado Gilson Marques (Novo-SC), o partido pretendia adiar a eleição. Para ele, não houve tempo para analisar o currículo dos candidatos. “O Novo discorda do procedimento adotado para escolha de cargos tão importantes”, disse.

Sessão encerrada
Logo após a votação, a sessão deliberativa foi encerrada. Apesar do pedido feito pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, antes da abertura dos trabalhos, os partidos da base do governo continuam em obstrução, o que impediu a votação de matérias.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by