Rússia prepara teste do `torpedo do Juízo Final’ no mar do Ártico

A arma vem sendo desenvolvida desde 2015 e agora está em fase final de ensaios no mar.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Rússia se prepara para fazer o primeiro teste operacional de seu “torpedo do Juízo Final”, o drone submarino Poseidon.A arma vem sendo desenvolvida desde 2015 e agora está em fase final de ensaios no mar, devendo ter um lançamento a partir de submarino feito entre setembro e dezembro.A informação começou a circular na imprensa russa na semana passada, e não há comentário oficial ainda do Ministério da Defesa, mas analistas dizem que ela é real.

Segundo Ivan Barabanov, especialista em sistemas navais em Moscou, o Poseidon já passou pelos testes mais críticos de seu sistema de propulsão nuclear. O cronograma não foi afetado pela pandemia do novo coronavírus, que tem na Rússia o terceiro maior foco de casos no mundo.Na forma de um grande torpedo de 24 metros de comprimento, o Poseidon é uma das “armas invencíveis” anunciadas pelo presidente Vladimir Putin em 2018.

Ele é movido por um pequeno reator nuclear e, segundo o próprio Putin disse, teria alcance de 10 mil km.A arma tem uma velocidade máxima especulada de cerca de 70 nós (130 km/h), o dobro do que submarinos nucleares desenvolvem. Poderia se deslocar mais devagar perto do alvo, para reduzir a assinatura acústica para sonares inimigos.Mas é sua carga e modo de emprego que preocupam observadores militares.

O Poseidon é desenhado para poder levar silenciosamente uma ogiva nuclear de 2 megatons, algo que poucos mísseis fazem hoje.Mais: Barabanov e outros analistas acham que ele poderia levar inacreditáveis 100 megatons para, digamos, Nova York. A bomba mais potente já testada pelo homem foi explodida pelos soviéticos em 1961 e tinha 50 megatons.

Além da destruição em si num ataque direto, se uma detonação dessas ocorresse a alguns quilômetros da costa, geraria um tsunami que simuladores estimam com dezenas de metros de altura.E, viajando silenciosamente debaixo d’água, a arma é de detecção e interceptação bastante mais difíceis do que as de um míssil convencional.

A existência do Poseidon foi conhecida no Ocidente quando o russo permitiu um vazamento proposital da imagem de um croqui da arma pelo canal de TV estatal NTV, há cinco anos.No ano passado, foi divulgado um vídeo simplório sobre seu funcionamento, além de imagens de sua produção.Os torpedos são tão grandes, 30 vezes maiores do que modelos pesados atuais, que precisam ser levados no dorso de enormes submarinos adaptados.

NPM

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by