Regularização Fundiária: proposta fortalece diálogo com movimentos sociais

Os movimentos sociais saúdam a proposta do governador Camilo Santana que institui a Política de Regularização Fundiária no Ceará. O projeto de lei foi enviado à Assembleia Legislativa do Estado na semana passada e também foi tema de live promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário na última sexta-feira (21). Caso seja aprovada, a lei deve homenagear Wilson Brandão, ex-secretário executivo do órgão que se tornou uma das quase 20 mil vítimas da Covid-19 em território cearense.

“Para nós, é uma enorme alegria homenagear quem, ao longo de toda a sua trajetória de vida, se comprometeu e fez muito pelo desenvolvimento agrário do Ceará, do Nordeste e do Brasil”, enalteceu o secretário De Assis Diniz. O geólogo Wilson Vasconcelos Brandão Junior ocupou a secretaria executiva da SDA entre 2007 e 2021, antes foi coordenador geral do Programa de Cadastro Fundiário e Reassentamento das Famílias Rurais do Instituto de Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace).

“Ganha o agricultor e a agricultora familiar e se fortalece o desenvolvimento rural, solidário e sustentável cearense”, comentou o presidente da Fetraece Raimundo Martins, responsável pela coordenação de 183 sindicatos de trabalhadores e trabalhadoras rurais. “É uma justa homenagem a quem em vida teve uma profunda relação com os movimentos sociais. Wilson sempre nos trouxe horizontes maiores aos desafios da classe dos trabalhadores rurais”.

“Esse projeto é de suma importância para os povos e comunidades tradicionais do Ceará. Estamos confiantes que a Assembleia Legislativa do Ceará se mostrará sensível às nossas lutas e aprovará essa política de Estado, que assegura direitos agrários e sociais para nossa população”, concluiu Cristina Quilombola.