Preso temporariamente, presidente da Câmara de Canindé tem habeas corpus negado pela Justiça

O vereador e presidente da Câmara de Canindé, Alan Panta, vai continuar preso após o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) negar um pedido de Habeas Corpus. Outros dois alvos da mesma operação da Polícia Civil, também, tiveram pedidos de liminar negados pela Justiça.

A defesa de Francisco Alan de Oliveira Uchoa, o Panta, entrou nessa quarta-feira, 30, com pedido de Habeas Corpus Criminal, pedindo a liberdade do vereador. O pedido de liminar foi distribuído durante o Plantão Judiciário por conta do recesso natalino.

O desembargador plantonista Mário Parente Teófilo Neto, do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), negou o pedido de liminar e remeteu os autos à distribuição regular, ou seja, a comarca local. Com a decisão o vereador deve continuar preso, conforme determinou a Justiça pelo período de 5 dias, podendo ainda ser prorrogado.

A prisão

Panta foi preso temporariamente pela Polícia Civil na última segunda-feira, 28, por meio de prisão cautelar determinada pela Justiça. Segundo a Polícia, o vereador e outros suspeitos são investigados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, ameaça, tentativa de homicídio e associação criminosa.

Outros envolvidos

A defesa dos vereadores diplomados, Giovane Lira e Manoel Deodato alvos da operação da Polícia Civil, também entraram com pedido de liminar na Justiça. No caso de Lira, a defesa entrou contra as medidas cautelares determinadas pelo juiz que autorizou a busca e apreensão, mas foi negada pelo desembargador de plantão do Tribunal de Justiça. No caso de Deodato, seu advogado pediu para ter acesso ao processo, mas não soube informar qual processo, e com isso o pedido não foi atendido pela justiça.

Blog do Roberto Moreira

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by