Possível nova aérea brasileira abre seleção de pilotos de Boeing 727

Enquanto temos visto nos últimos meses o grupo Itapemirim falar e dar indícios de um possível retorno aos céus, parece que outra empresa pretende dar um andamento mais rápido e efetivo para se tornar a mais nova companhia aérea brasileira.

Segundo publicação em sua página no Facebook, datada de 5 de maio deste ano, a Asas Linhas Aéreas anuncia que está selecionando comandantes e copilotos, e entre os requisitos para os interessados a companhia cita: “EXP. em B727 será um diferencial”.

Página do Facebook da Asas Linhas Aéreas, com a publicação da seleção

Talvez você possa levantar a hipótese de que qualquer um pode criar uma página em rede social e se passar por uma empresa contratando pessoas. Você teria toda a razão se este fosse o único indício para a possibilidade da existência dela. Porém, a comprovação de que se trata de algo sério vai muito além, incluindo a existência de um CNPJ desde 2016 e, incrivelmente, o registro de um Boeing 727 junto à ANAC.

Segundo consulta pelo CNPJ 26.688.323/0001-03 da empresa, a mesma foi aberta em dezembro de 2016, com a Razão Social “Asas Linhas Aereas EIRELI” e Capital Social de 1 milhão de reais. Não por coincidência, a página no Facebook foi criada exatamente no final de 2016, embora tenha ficado parada desde então, até o retorno de movimentações do perfil neste ano de 2020.

Quanto à aeronave, uma consulta ao sistema brasileiro de registro de aeronaves da ANAC, o RAB, mostra que o Boeing 727-200 de matrícula PR-IOC já tem cadastrado como seu operador a Asas Linhas Aereas EIRELI:

O jato consta como tendo seu Certificado de Aeronavegabilidade suspenso no RAB, ou seja, não pode voar, uma vez que o mesmo pertencia à Rio Linhas Aéreas (que encerrou operações mais ainda é descrita como proprietária do 727) e provavelmente não teve sua manutenção mantida em dia, conforme indicativo “IAM vencida” no motivo da suspensão:

Entretanto, veja acima que o mesmo RAB mostra a frase “Comunicada a Venda”, indicando que não apenas a Asas Linhas Aéreas tornou-se a operadora, mas deve em breve ser atualizada também como a proprietária do PR-IOC. Assim, certamente a companhia realizará as manutenções necessárias para retornar o Boeing 727 à condição aeronavegável.

Por sinal, o processo de venda foi concluído na data de ontem, 23 de junho, segundo o sistema da ANAC:

Tela ANAc PR-IOC Boeing 727 Asas Linhas Aéreas

Por fim, se você reparou nos detalhes nas informações das imagens acima, talvez tenha notado que o possível início das operações dessa nova companhia aérea brasileira seguirá os mesmos moldes de outras várias que surgiram nos últimos tempos: Boeing 727 cargueiro e registrado como aeronave “Privada de Serviço de Transporte Aéreo Público Não Regular”, ou seja, uma empresa atuando em voos fretados de carga.

Então, diante de todas as evidências acima, quem aí se candidata à vaga de piloto da nova Asas Linhas Aéreas?

Gazeta da Jurema

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by