PF deflagra operação contra desmatamento ilegal no Pará

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (29) a Operação Carranca, para reprimir a exploração ilegal de madeira no interior do Pará. 

Estão sendo cumpridas, ao todo, 60 medidas cautelares, entre os quais 7 mandados de sequestro de bens e 28 mandados de busca e apreensão nos municípios de Brasil Novo, Medicilândia e Uruará.

Desmatamento na Amazônia cresce pelo 14º mês seguido em junho

A investigação policial teve início no primeiro semestre de 2016, a partir de denúncias da extração ilegal de madeira no município de Brasil Novo.

Segundo a investigação, grupos atuavam em todas as etapas da cadeia produtiva da madeira: extração, serragem, falsificação de documentos, fiscalização, transporte e compra da madeira ilegal.

A quadrilha atua em quatro frentes: madeireiros de pouco poder econômico  atuam na linha de frente da extração ilegal, empresários com mais recursos  financiam uma grande cadeia de extração, serragem e distribuição de madeira ilegal, servidores públicos das Secretarias municipais de Meio Ambiente, advogados e engenheiros florestais utilizam suas funções para favorecer e acobertar os crimes ambientais e, por fim, policiais que realizavam fiscalização na rodovia Transamazônica, cobrando vantagem indevida dos caminhoneiros como condição para prosseguirem viagem ou passando informações de fiscalização rodoviária.

Há um servidor público federal e outros do estado do Pará idenficados.

De acordo com a PF, o nome da operação se refere a um tipo de escultura robusta produzida em madeira, que afasta maus espíritos. “A Operação Carranca busca afastar os maus que devastam a floresta amazônica brasileira”, explica a corporação.”

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by