Ocupação de leitos de UTI Covid para adulto chega a 95% e volta à marca do pico da pandemia no Ceará

Essa foi a maior marca desde maio do ano passado, pico das internações, quando atingiu 95,8%. Foto: Wandemberg Belém.

Após 15 dias no patamar de 90%, a ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) adultas exclusivas para Covid-19 chegou a 95,5% no Ceará. O dado consta na plataforma IntegraSUS, atualizada na tarde desta quinta-feira (25) pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

Isso significa que, dos 860 leitos ativos nas redes pública e privada, 797 estão ocupados. Restam somente 63 unidades disponíveis para atender a população. Essa foi a maior marca desde maio do ano passado, pico das internações, quando atingiu 95,8%.

A alta pressiona os setores público e privado, exigindo a abertura de leitos para o tratamento do novo coronavírus. Diante do agravamento da crise, o Governo do Estado anunciou novas ocupações e também requereu ao sistema particular para suprir a demanda crescente. Dentre outras medidas, decretou o isolamento social mais rígido para evitar o avanço da doença.

Nas UTIs neonatal e infantis, 65.22% e 57.5% estão ocupadas, respectivamente. Já as para gestantes estão em 25%. Atualmente, 291 pacientes com Covid-19 são atendidos em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Em relação ao estado de saúde, 103 estão em máscara de reservatório e 35 em ventilação mecânica.

A taxa de ocupação em UTIs está em 92,67% e as de enfermarias em 71,73%. Nesta quinta-feira (25), a Sesa recomendou a 170 municípios cearenses a adoção de medidas mais rígidas de contenção à Covid-19.  Desde o início da pandemia, já foram confirmados 418.070 casos de contaminados pelo novo coronavírus e 11.143 óbitos. Nas últimas 24 horas, três pessoas morreram em decorrência da doença.

O número de internações estava em declínio desde julho do ano passado. Após eleições e festas de fim de ano, contudo, voltou a crescer a partir de janeiro de 2021. No Carnaval, houve a ampliação das restrições para evitar a disseminação do vírus no período.

Os dados consideram 84 hospitais no Estado. Destes, 18 já chegaram ao limite de ocupação das UTIs. São eles:

Casa de Saúde e Maternidade São Raimundo  (Fortaleza)

Geral de Fortaleza (HGF)

Dr. Waldemar Alcântara  (Fortaleza)

Hospital Antônio Prudente (Fortaleza)

Maternidade São Vicente de Paulo (Itapipoca)

Monte Klinikum (Fortaleza)

Municipal Dr. João Elísio de Holanda (Maracanaú)

Hospital São Carlos (Fortaleza)

Hospital São Raimundo (Crato)

São Vicente (Fortaleza) 

Uniclinic (Fortaleza)

Universitário Walter Cantídio (Fortaleza)

Hospital Regional do Norte (HRN, Sobral)

Hospital Regional do Sertão Central (HRSC, Quixeramobim)

São José de Doenças Infecciosas (Fortaleza)

Instituto Madre Tereza de Apoio a Vida (IMTAVI, Brejo Santo)

Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza

Santa Casa da Misericórdia de Sobral

(Fonte: Diário do Nordeste)

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by