O papel do(a) vice – prefeito (a) no processo organizacional das gestões públicas municipais. *Por Fábio Tajra

Os cenários públicos municipais geralmente estão preenchidos por uma série de inconsistências, sejam econômicas, sociais, administrativas e de relacionamento com o munícipe e ainda com o servidor público.

Estes níveis de interação, muitas vezes tornam os avanços lentos e oscilantes, principalmente no que se refere a prospecção de projetos e programas desenvolvimentistas disponíveis no Governo Federal, Estadual, Terceiro Setor, Parcerias Público Privadas e ainda financiamento internacional a fundo perdido.

O chefe do Poder Executivo configura-se como um “android” programado para trabalhar roboticamente para simplesmente administrar conflitos, amenizar crises econômicas, políticas e atender demandas sociais estagnando o processo de crescimento da cidade.

O papel do (a) vice-prefeito (a) no processo gerencial das gestões é de fundamental importância, podendo destacar: elaboração de planos, metas, cronograma de ações, formação e reciclagem profissional para colaboradores das secretarias e ainda na composição de diversas políticas públicas setoriais capazes de agregar conteúdo técnico, propositivo e impulsionador das gestões.

Para uma gestão obter êxito e alavancar o município, faz-se necessário simetria de ideias entre prefeito e vice, compromisso com o desenvolvimento e com o povo representado e plano de ação conjunto.

Fábio Tajra

Jornalista (DRT 3977/CE)

Técnico em políticas públicas

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by