Multa de R$ 178 mil é aplicada à ex-secretária municipal de Jaguaretama

Por irregularidades e omissões praticadas no exercício de 2012, a então secretária de Educação do Município de Jaguaretama foi condenada pela Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado do Ceará a pagar multas que totalizam R$ 178 mil. A decisão foi acordada por unanimidade do colegiado do TCE nesta quarta-feira (8/8) durante o julgamento da prestação de contas de gestão nº 18422/13, relatada pelo conselheiro substituto David Matos. A ex-gestora será intimada para efetuar o pagamento da quantia em até 30 dias ou recorrer no prazo legal.

Há infrações sustentadas no processo que, caso não sejam descaracterizadas em julgamento de eventual recurso, darão fundamento a abertura de processo de representação do TCE junto ao Ministério Público Federal e Estadual, para que, sendo o caso, sejam adotadas as medidas judiciais cabíveis. São elas: quase R$ 90 mil retidos a título de contribuição previdenciária não foram repassados ao INSS, situação que representa, segundo o relator, “forte indício da prática do crime de apropriação indébita previdenciária”; e não comprovação da realização de licitações para aquisição de mobiliários escolares, combustíveis, veículos e serviço de transporte escolar.

Foi apontada, ainda como irregularidade, a ausência de processo seletivo para contratação de professores temporários e errada classificação contábil dessa despesa. “Com efeito, a errônea classificação resultou em uma subavaliação do montante despendido pela municipalidade com pessoal e encargos, já que a contratação de pessoal por tempo determinado, quando caracterizarem substituição de servidores ou empregados, deve compor a base de cálculo para fins de atendimento do limite estipulado no art. 19, III, da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)”, explicou.

Outra falha identificada durante a análise da prestação de contas foi o fato de os recursos do Fundeb não terem sido registrados no Sistema de Informações Municipais de forma separada. A legislação que rege a matéria determina que 60% do Fundo devem ser destinados à remuneração de profissionais do magistério e 40% para a manutenção e desenvolvimento do ensino. Dessa maneira, não foi possível verificar se houve o cumprimento do requisito legal.

As demais irregularidades constatadas foram apresentação da prestação de contas fora do prazo; ausência de documentos que obrigatoriamente a devem compor; e despesas sem contrato.

Fonte: www.tce.ce.gov.br

No Responses

  1. Pingback: buy sildenafil 07/05/2020
  2. Pingback: medicine for impotence 18/05/2020
  3. Pingback: non prescription erection pills 21/05/2020
  4. Pingback: best non prescription ed pills 25/05/2020
  5. Pingback: cialis online 29/05/2020
  6. Pingback: online canadian pharmacy 08/06/2020
  7. Pingback: generic cialis 14/06/2020
  8. Pingback: vardenafil 20mg 21/06/2020
  9. Pingback: buy real cialis online 10/07/2020
  10. Pingback: cash loan 12/07/2020
  11. Pingback: bitcoin exchange 04/08/2020
  12. Pingback: sgp result 06/08/2020
  13. Pingback: fake replika omega watches paypal 31/08/2020
  14. Pingback: Fake id 09/09/2020
  15. Pingback: click here 14/09/2020
  16. Pingback: is blazing trader a scam? 27/09/2020
  17. Pingback: bitcoin evolution 01/10/2020
  18. Pingback: Automating Performance Tests 13/11/2020
  19. Pingback: 토토사이트 10/12/2020
  20. Pingback: fake rolex 29/12/2020
  21. Pingback: DeWalt DWMT70781L manuals 20/01/2021
  22. Pingback: Thermador RDSS30 manuals 21/01/2021
  23. Pingback: CI CI services 07/02/2021
Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by