Governo do Ceará investe R$ 23,7 milhões em pesquisa e educação com bolsas de mestrado e doutorado

ão 1.111 bolsas de pesquisa científica, com 629 bolsas para o mestrado e 482 de doutorado 

Em evento no Palácio da Abolição, na manhã desta quinta-feira (12), o Governo do Ceará oficializou um investimento de R$ 23,7 milhões em Bolsas de Formação Acadêmica, através da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), vinculada a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará (Secitece), distribuídos em 629 bolsas de mestrado e 482 de doutorado, totalizando 1.111 bolsas de pesquisa científica.

“Esse evento hoje aqui tem um simbolismo muito importante. O país precisa entender que uma nação só consegue se libertar e diminuir as desigualdades, se investir em ciência e tecnologia. No nosso governo temos um compromisso de fortalecer e ampliar o conhecimento. Se nós investimos o recorde de R$ 90 milhões ano passado, esse ano queremos mais, pois enquanto o governo federal tem cortado as bolsas nesse país, a gente aumenta aqui. Por isso o Ceará dá um exemplo para o Brasil ao continuar investindo em educação, pesquisa, ciência, tecnologia e inovação”, pontuou o governador Camilo Santana.

O edital registrou aumento de aproximadamente 6% no número de bolsas de mestrado concedidas e de cerca de 4% no número de bolsas de doutorado. A verba é destinada a fortalecer o ensino de pós-graduação no Ceará e prover o Estado de recursos humanos qualificados para a pesquisa científica, tecnológica e de inovação.

O titular da Secitece falou sobre a importância do investimento. “No Ceará nós acreditamos na ciência, na pesquisa, no estudo e na inovação. Proporcionalmente somos o maior programa de incentivo a pesquisa do Brasil. E isso causa um grande impacto na comunidade científica ao manter vivos programas de pesquisa que estão sendo produzidos no estado. E a maioria delas na área da saúde, compartilhada com instituições nacionais e internacionais”, explica Inácio Arruda.

Camilo Santana citou também que cerca 40% das bolsas de mestrado e doutorado são para as universidades públicas do Estado, e o restante se dividem entre as federais, institutos parceiros, e centros de ciência e tecnologia como a Fiocruz, Embrapa, entre outras instituições de ensino. As bolsas de mestrado serão concedidas por até 24 meses e as de doutorado por até 48 meses, contados a partir do início do primeiro período letivo no curso.

Para o presidente da Funcap, Tarcísio Pequeno, o Ceará vai na contramão do Brasil para construir um futuro melhor. “O governo federal vem colocando a pesquisa em um caminho de inviabilidade, que nos faz perder cientistas e a riqueza da pesquisa, mas enquanto isso acontece, aqui no Ceará as coisas funcionam exatamente ao contrário, e aqui a ciência está sendo valorizada”, comemora.

Mulheres são maioria

Na semana do Dia Internacional da Mulher, chama a atenção os dados estatísticos do programa: as pesquisadoras são maioria em todos os programas de bolsas da Funcap. Além disso, os maiores percentuais da participação feminina estão nos níveis mais elevados de atividade científica, que são as categorias de mestrado e doutorado.

ASCOM

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by