Ex-prefeito de Quixadá confessa que deixou rombo de mais de 40 milhões de reais

A gravidade da situação financeira deixada pela gestão do ex-prefeito Ilário Marques (PT) na prefeitura de Quixadá, já demonstrou que o cenário é delicado. Mas, em 29 de janeiro de 2021, a entrega de um relatório por parte da equipe contábil do petista com o somatório de débitos que estão em abertos, evidencia uma situação mais grave mostrando que o rombo é muito maior.

Cerca de 42 milhões de reais de dívida na conta da prefeitura. Esse é o resultado do balanço financeiro geral da gestão do petista. O balanço traz a assinatura do ex-prefeito, o que demonstra que ele revela as informações que lá se encontram. Mais ainda: a assinatura é o atesto de Marques e de sua equipe contábil diante do caos econômico deixado em Quixadá, uma espécie de confissão da imensa irresponsabilidade provocada.

Ao todo, conforme o documento, a gestão do petista deixou de restos a pagar o total exato de R$ 27.494.519,03. Esse valor referem-se a despesas que foram geradas pela ex-gestão e as secretarias durante sua gestão e que deixaram de ser quitadas, gerando o que os contadores classificam como insuficiência financeira. O montante que já é por si só altíssimo, não considera os valores de débitos com precatórios e encargos sociais, o que aumenta ainda mais as cifras.

O relatório de gestão fiscal foi entregue pela equipe de contabilidade do ex-prefeito e está publicado no site da prefeitura, obedecendo às leis de transparência e de acesso à informação, disponível para consulta por qualquer cidadão. Além da assinatura do ex-prefeito e da empresa de contabilidade responsável, o balanço é também assinado pela então secretária de finanças de Quixadá, Josênia da França Costa.

De acordo com o relatório  que mostra a dívida consolidada deixada pela ex-gestão, em um dos itens do documento é possível ver que os valores da dívida consolidada do município é superior a 42 milhões de reais.

Atenta a essa situação e preocupada em encontrar uma solução, a gestão do atual prefeito Ricardo Silveira (PSD) se debruçou durante todo o mês de janeiro para analisar através de sistemas, os débitos que estariam em aberto. Há números que ficaram de fora mas que também foram descobertos pela equipe econômica de Ricardo Silveira, como, por exemplo, cerca de R$ 2 milhões da folha do Instituto de Previdência do Município e que foram pagos em janeiro pela atual gestão.

Logo ao assumir a prefeitura a equipe contabilizou um rombo de quase R$ 11 milhões somente com o gasto de pessoal. Eram pagamentos que foram deixados em atraso por parte da equipe do ex-alcaide. Os débitos foram negociados com o Sindicato dos Servidores e com o Ministério Público. A primeira parcela do pagamento, prevista para o dia 20 deste mês, foi antecipada e depositada nas contas no último sábado (13).

A atual gestão municipal está trabalhando para diminuir o custo da estrutura da máquina pública com o intuito de renegociar todas as dívidas e, ainda, realizar os serviços e as obras necessárias para os quixadaenses.

http://www.monolitospost.com/

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by