Denúncias de violência contra a mulher ao Ligue 180 crescem durante pandemia

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, as denúncias no Ligue 180 cresceram. O número recebe queixas de violência contra as mulheres. Em fevereiro, foram mais de 8 mil. No mês seguinte, passaram de 10 mil. Já em abril, foram quase 10 mil.


Ao comparar abril deste ano a abril de 2019, as denúncias cresceram acima dos 35%. O balanço foi divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério dos Direitos Humanos. O ouvidor nacional do órgão, Fernando Pereira, revela os fatores que provocaram esse aumento.


Durante o balanço também foram divulgados dados totais de 2019. Em todo o ano passado, o Ligue 180 recebeu mais de 67 mil denúncias de violência doméstica e familiar. No ano anterior, foram 62 mil. A maioria violência física, moral e tentativa de feminicídio.


O perfil principal das vítimas é de mulheres entre 18 e 30 anos com ensino fundamental completo. Já os suspeitos tinham entre 25 e 40 anos e ensino fundamental incompleto.


A ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou que, para diminuir os índices de violência contra a mulher, pretende trabalhar a conscientização das crianças e jovens nas escolas.


As denúncias de violência contra a mulheres podem ser feitas por telefone, pelo site do Ministério dos Direitos Humanos e também pelo aplicativo Ligue 180. Em breve, as reclamações poderão ser encaminhadas para um número de WhatsApp, que ainda será disponibilizado. Não é necessário ser a vítima. Qualquer um pode e deve denunciar.

EBC (Foto: Politize)

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by