Covid: Mais vagas

Tendo em vista a elevada taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em Fortaleza – 96%, segundo dados da plataforma IntegraSUS nessa quinta-feira (18) – o Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh, constituído pelo Hospital Universitário Walter Cantídio e pela Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, passou a disponibilizar, a partir desta semana, 101 leitos exclusivos para tratamento de covid-19, divididos entre 81 de enfermaria e 20 de UTI.

FOTO CARLOS GIBAJA

O que representa um aumento de 494% da oferta total de leitos exclusivos para o tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus à população cearense, se comparado ao anúncio dos primeiros 17 leitos – dos quais, 11 eram de enfermaria e seis de UTI – feito pelo CH-UFC em abril passado. Desde então, o crescimento da oferta de leitos tem sido constante, especialmente nas últimas semanas.

Segundo o superintendente do CH-UFC, professor Carlos Augusto Alencar Júnior, reuniões, entre a unidade e os efetivos de saúde municipal e estadual, estão sendo realizadas com o fito de planejar e executar os ajustes necessários na infraestrutura e nas escalas de pessoal, bem como na compra de insumos e no treinamento adequado de equipes para ofertar os leitos solicitados.

“Entendemos que o momento é de união, solidariedade e luta. E não há nada que expresse, suficientemente, o orgulho que estamos sentindo dos nossos colaboradores. Esta doença tão desafiadora não contava com um exército de profissionais competentes, corajosos e dedicados como o nosso. Juntos, vamos vencer o vírus”, disse.

Em consequência à abertura de mais leitos, surgiram mais vagas de emprego para profissionais da saúde. Para preencher o quadro de funcionários, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), reabriu as inscrições para a contratação temporária desses profissionais. Três processos seletivos emergenciais (PSEs) estão com inscrições abertas, por meio da internet, até hoje (19).

Para o Complexo Hospitalar da UFC (CH-UFC), haverá cadastro para as seguintes especialidades: infectologia; nefrologia; neonatologia; pneumologia; radiologia e diagnóstico por imagem; clínica médica; medicina de emergência; medicina intensiva; medicina do trabalho; além de médico plantonista. Do início da pandemia até este mês, a Ebserh/MEC já contratou mais de 4 mil profissionais por meio das seleções emergenciais.

Apesar do cenário desfavorável causado pelo surto de coronavírus, o CH-UFC teve descentralizados mais de R$ 28,3 milhões em recursos procedentes do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), da contratualização com a Prefeitura de Fortaleza e de recursos próprios da Ebserh. Com a última permitindo a descentralização suplementar, no valor de R$ 4.050.924,00, para obtenção exclusiva de luvas de procedimento para o combate à doença no CH por seis meses.
Há, em curso, 20 processos de licitação, 11 deles com foco no combate à covid-19. Fato que, para a gerente administrativa e o chefe da Divisão Administrativa-financeira do CH-UFC, Eugenie Néri e Laurimberg Diniz Cavalcante, respectivamente, é uma verdadeira “força-tarefa”.

“Estamos enfrentando desafios diários para manter o HUWC e a MEAC em pleno funcionamento para atender os pacientes acometidos pela covid-19 e responder a mudança no perfil assistencial. Para isso, temos contado com o envolvimento de todos os colaboradores em ações articuladas para adequar ambientes, mobiliário, equipamentos médico-hospitalares, medicamentos e prover demais insumos, com agilidade, sobretudo, em um cenário de ausência de matéria-prima e oscilação do dólar”, consideram.

OE

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by