Cearense conquista medalha de prata e tem o melhor resultado do Brasil em olimpíada mundial de química

Pelo segundo ano consecutivo, o estudante Ygor de Santana Moura, recebe uma medalha de prata em Olimpíada Internacional de Química (IChO); ao todo, jovem concentra 47 premiações e aprovação no MIT.

POR G1 CE – Representando o Ceará, o estudante Ygor de Santana Moura, 18, conquistou, pelo segundo ano consecutivo, uma medalha de prata na Olimpíada de Química Internacional (IChO). Em 2020, a vitória veio na 52ª edição do evento, sendo o único brasileiro a conseguir a segunda posição. Ao todo, a competição reuniu 250 alunos de ensino médio de 60 países, ocorrendo entre os dias 23 e 29 julho, de forma remota.

Somente quatro brasileiros conquistaram medalhas, sendo as outras três de bronze. Dois estudantes moram no Rio de Janeiro, Davi Medeiros Fortunato e Pedro Yudi Honda, e um no Distrito Federal, Thiago José Velôso.

A trajetória de Ygor se iniciou no final de 2015, quando mudou-se com a família do Rio de Janeiro para o Ceará a fim de se dedicar os estudos. Em janeiro de 2016, já começava o ano letivo como bolsista do Colégio Ari de Sá Cavalcante. As três primeiras medalhas mundiais foram conquistadas em 2019, sendo ouro na Iberoamericana de Química (OIAQ), prata na IChO, e outra prata na Olimpíada Europeia de Física (EuPhO).

Até este ano, o jovem soma 47 premiações entre olimpíadas mundiais, nacionais, regionais e internas, sendo 19 medalhas de ouro, 13 de prata, 9 de bronze e 5 menções honrosas. Para alcançar tais resultados, a dedicação aos estudos foi constante, costumando estudar de 8h da manhã até o mesmo horário da noite. Nas férias, optava por participar dos cursos em exatas disponibilizados pelo colégio durante o período.