Após 195 mortes, Ceará para de informar homicídios durante motim de militares

Pouco mais de uma semana após os motins de policiais militares, a secretaria de segurança pública do Ceará deixou de atualizar os dados de homicídios ocorridos no estado. A paralisação dos policiais começou na terça-feira da semana passada, e até o último dado atualizado, no dia 25, os homicídios já somavam 195 (entre 19 e 24).

O boletim diário, que é disponibilizado no site da secretaria, foi atualizado pela última vez com dados apenas até o dia 19. A partir dali, houve apenas a informação de dados diretamente pela assessoria da SSPDS.

Questionado pelo UOL, a pasta informou que “divulgou notas com o balanço diário de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), de forma extraordinária, até o dia 25 de fevereiro”.

“Agora, a Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp), setor responsável pela contabilidade dos dados, retorna ao trabalho habitual para consolidar os números e realizar a divulgação dos dados mensais e das principais ocorrências diárias no site da SSPDS”, diz a pasta.

Segundo a secretaria, com o fim do Carnaval, “há um acúmulo de trabalho no setor de estatística, que deve ser normalizado nos próximos dias”.
Na terça-feira, uma comissão de poderes iniciou uma negociação com os amotinados, que resultou numa entrega de 17 itens pedidos pelos policiais para fim do movimento. Além de reajuste salarial, eles pedem mudanças na escala de trabalho, a implementação e reajustes em auxílios recebidos e um plano de habitação que contemple os militares. O governo ainda não se pronunciou sobre os pedidos.

UOL

Participe, envie sua notícia direto para o nosso Whatsapp.
Powered by